Treinador lembrou das dificuldades que esperam sua equipe no segundo turno e também na final de domingo, contra o Artsul
Paulo Cesar Teixeira pediu mais regularidade ao Itaboraí dentro dos jogos.
Foto: Gabriel Farias.
O Itaboraí terminou a fase classificatória do primeiro turno da Terceirona com 100% de aproveitamento. Em sete jogos disputados, a Águia não deu sopa para o azar, vencendo todos os oponentes que se apresentaram. No entanto, o treinador Paulo Cesar Teixeira não está satisfeito por completo. O comandante alertou para os erros cometidos contra o Rubro, no último domingo. Para ele, é preciso estar o mais próximo possível da perfeição para obter êxito.

- A equipe do Rubro é boa e a velocidade que imprimiram permitiu que fizessem dois gols. Temos que ter humildade para respeitar o adversário. Poderíamos ter matado o jogo logo no início, quando estávamos num ritmo intenso, mas deixamos eles gostarem do confronto. Mas no percurso, para uma equipe que quer ser campeã, isso é normal e serve de lição. Futebol se ganha dentro de campo - avaliou.

- Sempe buscamos ao máximo a perfeição e ainda não está acontecendo. Temos que entrar com mais atenção e intensidade, sem deixar cair, para o adversário não gostar do jogo - completou Paulo Cesar.

O sofrimento encarado contra o Rubro Social serviu de amadurecimento, segundo o técnico do Itaboraí. Paulo Cesar lembrou que no segundo turno a briga promete ser ainda mais acirrada nos confrontos diretos dentro do Grupo B, contra Campos, Duque Caxiense, São Gonçalo EC e Búzios.

- Foi importante passar por isso, porque ainda não estamos jogando um futebol constante. Vamos enfrentar adversários diretos, de qualidade, em jogos que não permitem erros. Houve um amadurecimento da nossa equipe. Jogamos bem até a parada técnica, depois jogamos muito mal, mas nos superamos na raça.

Sobre a final contra o Artsul, no próximo domingo (5), o PC Teixeira quer ver seus jogadores ligados do início ao fim. Essa é a receita para manter a boa campanha e levantar a taça simbólica.

- Quem for ver a partida vai ter um grande jogo pela frente, com grandes jogadores, um treinador de Série A do outro lado... se não entrarmos ligados no 220, não vai dar certo - ponderou.

Volante entrou no decorrer da partida contra a Juventus e se disse aliviado por encerrar longo período sem atuar
Dias entrou pela primeira vez no São Gonçalo. Volante espera ajudar mais,
Foto: Divulgação/SGEC.
O triunfo do São Gonçalo EC sobre a Juventus, no último domingo, apresentou uma novidade para o torcedor papa-goiaba. O volante Dias, de 21 anos, ganhou sua primeira oportunidade ao entrar no segundo tempo da vitória por 3 a 2. Jogador que se destacou nas categorias de base do Mais Querido em 2014, Dias falou sobre a felicidade de voltar a vestir a camisa do clube gonçalense.

- Graças a Deus foi uma maravilha poder entrar e ajudar a equipe. Estava louco por essa oportunidade. Foi praticamente um ano sem jogar uma partida oficial. Pude aproveitar bem as oportunidades e espero evoluir mais e mais entrando nos jogos. Quero conquistar mais a confiança da comissão técnica e do grupo - disse o volante, que já estava avisado que ganharia a oportunidade.

- Antes do jogo começar o Reginaldo (treinador) e o Felipinho (auxiliar) tinham conversado comigo que haveria a possibilidade da estreia. Deu um frio na barriga, mas quando encostei o pé a primeira vez na bola me acalmei e tudo ficou tranquilo - garantiu.

O São Gonçalo EC volta a campo no dia 12 de julho, quando enfrenta o Nova Cidade, pela rodada de abertura do segundo turno da Série C. Dias espera ganhar mais chances para ajudar o Azul e Branco na luta pelo acesso à Segunda Divisão.

Em nome de Jesus nesse segundo turno quero poder entrar mais nos jogos ajudando a equipe com a marcação e na saída de bola - encerrou, ressaltando suas características.

Em sua primeira partida em casa, Tricolor conseguiu bater o Botafogo com autoridade, pelo placar de 5 a 3
Alan Santarém destacou a importância que o Mauá terá para o Gonçalense.
Foto: Gabriel Farias.
O Gonçalense teve o fator campo como um dos seus principais aliados na primeira vitória alcançada no Campeonato Carioca de Futebol 7. Jogando com autoridade no Clube Mauá, o Tricolor Metropolitano superou o Botafogo, conseguindo três pontos importantes na luta pela classificação à próxima fase da competição, conforme disse o atleta Alan Santarém.

- É uma vitória importante para nos dar vida no campeonato. Estreamos mal contra o São Cristóvão, depois tivemos um empate com sabor de derrota contra o Rio de Janeiro e esse era o jogo da afirmação, dentro de casa. Fizemos o jogo na nossa proposta e matamos nos contra-ataques. Foi um resultado importante para dar confiança ao grupo e provar para todos que viemos para brigar por uma das quatro vagas - disse Santarém, que confia no Clube Mauá como um dos trunfos do Tricolor no Estadual.

- Aqui o campo é bem maior do que os do Rio. Estamos acostumados e temos que tirar proveito. Soubemos fazer isso contra uma equipe muito forte e a partir daí temos que transformar nossa casa num dos principais fatores para conseguir as vitórias - completou.

No domingo, 5, o Gonçalense enfrenta a Cabofriense, no Iate Clube Jardim Guanabara, na Ilha do Governador. Na semana seguinte, no dia 12, volta para casa, quando receberá o Bonsucesso no Clube Mauá.

Goleiro, que defendeu pênalti na vitória sobre o Rubro, também chamou a responsabilidade ao final da partida, motivando seus companheiros
Luiz Felipe foi um dos responsáveis por motivar a equipe após o jogo contra o
Rubro. Foto: Gabriel Farias.
O elenco do Itaboraí vai, ao longo da campanha na Série C Estadual, elegendo de maneira natural seus líderes. E esse posto não é um privilégio apenas de atletas mais rodados, que já romperam a barreira dos 30 anos, como o zagueiro Fabão ou o meia Chico Marcelo. Jogadores mais jovens, como o goleiro Luiz Felipe (de 23 anos), também demonstram ter voz ativa.

Foi assim após a partida do último domingo, quando o Itaboraí "suou sangue" para derrotar o Rubro Social nos minutos finais. O triunfo por 3 a 2 mexeu com a emoção dos jogadores. Na tradicional roda que é feita ainda dentro do campo após as partidas, o camisa um foi um dos responsáveis por dar o tom sobre a fase que o clube vem vivendo.

- Nessas horas temos que falar. Temos alguns jovens no elenco e vemos a emoção deles em chegar numa final. Tentamos passar que isso vai ser natural na carreira deles. O prefeito falando também é importante, porque demonstra que ele acredita, que está junto querendo o crescimento do clube e da cidade. Só temos a agradecer a todos e também nossa torcida, que tem apoiado tanto - disse Luiz Felipe, ressaltando a figura do mandatário do município, figurinha carimbada nas partidas do clube.

Sobre o pênalti defendido, o goleiro do Itaboraí procurou dividir os méritos, principalmente com seus colegas de posição - André Stov, Marco Antônio e Serjão. O pensamento agora é todo na final do turno. Colocar a taça na galeria de troféus do clube, que nunca conquistou uma competição organizada pela federação, seria histórico.

- A gente vem fazendo um bom trabalho, tanto eu quanto os outros goleiros, como venho falando. Conseguimos o resultado e peguei um pênalti que deu tranquilidade e ajudou no resultado final da partida. Agora é descansar e pensar na final. Vai ser uma decisão difícil. O Rubro nos complicou e sabíamos que seria duro, mas um time que pretende chegar tem que viver situação como essa, que só fortalece nossa equipe - encerrou.

Jogador do Itaboraí, que foi improvisado de maneira incomum na partida contra o Rubro, demonstrou ser familiarizado com a função
GIGANTE! Seja no campo ou na liderança, Fabão vai demonstrando grande
importância na ADI. Fotos: Gabriel Farias.
Fabão é um zagueiro de 34 anos, experiente, e com pouco mais de dois metros de altura. O defensor do Itaboraí, apesar do porte físico incomum, demonstra qualidade com a bola no pé, fugindo do estereótipo do "zagueiro-zagueiro", adjetivo criado por Wanderley Luxemburgo para justificar a convocação de Odvan, ex-Vasco, para a seleção brasileira em 1999. Na época, ele se destacava mais pela dureza de suas entradas do que pela técnica, o que o transformava num defensor "sério", na visão do técnico.

Pois bem. Na partida contra o Rubro Social, no último domingo, o Itaboraí estava bem próximo de perder os 100% de aproveitamento na competição. O empate, que ia se configurando até os 40 minutos do segundo tempo, também tiraria a Águia da final do primeiro turno. Vendo a água escorrendo pelo ralo, o treinador Paulo Cesar Teixeira apostou em Fabão. Só que na função de atacante.

O defensor, a partir dos 30 minutos, passou a fazer a função de pivô nas bolas aéreas alçadas pela defesa. E ganhou quase todas. Na principal delas, quando o goleiro Luiz Felipe lançou, ele escorou encobrindo o arqueiro adversário, Jefferson. Quase embaixo da trave, o volante Pedro só teve o trabalho de mandar para as redes. O gol, do camisa oito, teve grande parcela do "zagueiro-atacante".

- Tem horas que é preciso improvisar alguma coisa. Foi difícil. A equipe deles surpreendeu, demonstrou qualidade e complicou pro nosso lado. O mais importante foi que lutamos e conquistamos a vitória. Foi a vitória do merecimento - disse Fabão, que escondeu o jogo sobre seu passado.

Se o atleta omitiu, o técnico Paulo Cesar Teixeira fez questão de revelar. Paulo, que já havia trabalhado com Fabão nas categorias de base do próprio Itaboraí, lembrou do início da carreira do jogador, que foi atacante em seus primeiros passos como atleta. Somente depois, quando já vestia a camisa do Grêmio (RS), foi que ele começou a ser recuado.

A dupla Fabão e Chico Marcelo (de verde). Dois dos jogadores mais identificados com a cidade.
- Com o Fábio, já trabalhamos no sub-17, além disso, passou por Grêmio e Vasco, por exemplo, como atacante. Foi no sub-20 que ele voltou a ser zagueiro. Ele tem muita altura e possui qualidade técnica. Estávamos sem aquela referência lá na frente, já que o Diegão (atacante de ofício) estava sentindo o joelho. Confiamos no Fábio e deu muito certo - explicou Paulo Cesar Teixeira.

Zagueiro "de casa"

Fabão é um dos atletas do atual elenco do Itaboraí que possui o privilégio de defender o clube de sua cidade natal, onde foi nascido e criado. Até por isso, a emoção toma conta na hora de falar sobre essa experiência. Perto de conquistar o título do primeiro turno, o zagueiro espera poder dar alegria aos seus conterrâneos.

- Sou nascido e criado na cidade e sei que esse povo é merecedor de um título como esse. A torcida tem sido guerreira nos acompanhando. Vamos em busca dessa vitória na final. Pela primeira vez o futebol do município tem recebido apoio e esperamos corresponder da forma que eles merecem.

Com um time tão surpreendente, é bom os adversários do Itaboraí abrirem o olho. Nem sempre a Águia é o que parece. E quando é, pode não ser bem assim. Confuso, não? E quem disse vai ser fácil ganhar uma equipe com 100% de aproveitamento em sete jogos? Que venha a taça!

Treinador gostou da atuação dos gonçalenses principalmente na primeira etapa da vitória sobre a Juventus; após o intervalo, prevaleceu a superação
Treinador do São Gonçalo EC gostou da evolução de seus comandados.
Foto: Divulgação/SGEC.
O São Gonçalo Esporte Clube voltou a navegar em águas calmas na Série C do Campeonato Carioca. Apesar de ainda estar a quatro pontos de distância para a zona de classificação do Grupo B, o Azul e Branco ao menos voltou a vencer na competição. De maneira apertada, superou a Juventus por 3 a 2 no último domingo, em Bangu, colocando fim a uma série de duas partidas sem resultado positivo.

Para o treinador Reginaldo Assad a atuação correspondeu ao que foi treinado durante os 15 dias de preparação. Além disso, o comandante destacou outro ponto positivo: a postura e mentalidade de seus jogadores diante de uma partida confusa e que quase se complicou na reta final.

- No primeiro tempo fomos bem, impomos nosso ritmo e merecemos o resultado positivo, apesar do gramado ter atrapalhado bastante. O que destaco foi o espírito de Série C que demonstramos, lutando muito, sem se entregar - disse Assad.

Depois de abrir dois gols de vantagem em 25 minutos de primeiro tempo, o São Gonçalo EC viu a Juventus empatar aos 38 minutos da segunda etapa (com um homem a menos). O que poderia ser motivo de desespero, acabou sendo mais uma prova do amadurecimento do SGEC.

- Eles empataram, mas rapidamente nossa equipe respondeu com o lance que gerou o pênalti e o gol da vitória. Ainda desperdiçamos outras oportunidades que poderiam ter nos dado mais conforto. Os jogadores reagiram muito bem a uma situação difícil - completou o técnico.

O São Gonçalo EC volta a campo em 12 de julho, quando inicia a disputa do segundo turno, enfrentando o Nova Cidade, fora de casa. Os gonçalenses terão sete jogos no período de um mês para tentar mudar o panorama da competição e ir em busca do acesso à Série B.

Jogador teve atuação fundamental na vitória contra o Botafogo, a primeira no Campeonato Carioca da modalidade
O Gonçalense, de Gustavo, conquistou sua primeira viória no Carioca de Fut7.
Foto: Gabriel Farias.
O Gonçalense entrou de vez na disputa do Campeonato Carioca de Futebol 7. Depois de dois jogos sem vitória o Tricolor contou com a força da torcida e o fator campo, no Clube Mauá, para bater o Botafogo e subir para a oitava colocação Grupo A. Para o atleta Gustavo, que teve grande atuação, o resultado fez jus ao esforço do grupo na semana de treinamentos.

- Vinhamos treinando bem, mas os resultados eram ruins. Sabíamos que a vitória seria importante contra o Botafogo. O campo ajudou muito pois nossa equipe é rápida e salonista. Graças a Deus o resultado positivo veio - disse Gustavo, que espera ver o Gonçalense decolando daqui em diante.

- As vitórias fortalecem nosso grupo e espero que o time alavanque ainda mais - projetou.

Diante do Botafogo o Gonçalense teve que aguentar uma pressão inicial do adversário. Após sair atrás do placar, o Tricolor acordou e passou a comandar as ações. Gustavo pede que esse tipo de erro não volte a se repetir.

- Jogando em casa é o mandante que precisa tomar a iniciativa, mesmo sendo contra o Botafogo. Levamos o primeiro gol, mas soubemos suportar isso e fazer o fator campo prevalecer - completou.

No domingo (5), o Gonçalense volta a campo para enfrentar a Cabofriense, no Iate Clube Jardim Guanabara, na Ilha do Governador, pela quarta rodada do Campeonato Estadual.

Equipes como Resenheiros, NF7, Galáticos e Covanca passaram pela etapa classificatória com 100% de aproveitamento
O Serrana (de preto) goleou o Canto do Rio e avançou para enfrentar o
Lendários. Foto: Divulgação/Serrana.
Foram 40 equipes iniciando a disputa da Super Copa de Futebol 7 em São Gonçalo. Agora, somente 16 seguem na disputa do título. O último fim de semana encerrou a fase classificatória e apontou os cruzamentos das oitavas de final, que começam a ser disputadas no domingo, dia 5, no LA Esporte Clube.

Entre aqueles que avançaram, destaque para os times que conseguiram se manter com 100% de aproveitamento. O Resenheiros, novato no cenário das competições oficiais em São Gonçalo, conseguiu tal feito e vai enfrentar o Raça Pura. O NF7, que também cumpriu campanha perfeita, terá pela frente o Real Califórnia.

Campeão da Copa São Gonçalo (primeira competição da temporada) o Galáticos entrou como grande favorito na Super Copa e vai cumprindo seu papel. Depois de quatro vitórias em quatro jogos, o time amarelo terá o Furacão como oponente nas oitavas. O Covanca, que também passou com tranquilidade na etapa inicial da competição, pega o Toca e Sai.

Recopa - As equipes eliminadas na primeira fase da Super Copa ainda possuem nova chance de levantar uma taça. Elas estarão participando da Recopa, que seguirá em paralelo.

Oitavas de final (Jogos de Ida)
Domingo (05/07) - LA Esporte Clube
Pita x Bando de Loucos - 11h
Covanca x Toca e Sai - 11h
Resenheiros x Raça Pura - 12h10
Galáticos x Furacão - 12h10
NF7 x Real Califórnia - 13h20
Destino x Talita - 13h20
Lendários x Serrana - 14h30
Osórios x Baviera - 14h30

Volante, que vem atuando mais adiantado após as lesões de Willian Bersan e Caio Cezar, teve papel decisivo na vitória sobre o Rubro Social
Pedro é festejado pelos companheiros após marcar um de seus gols no
domingo. Foto: Gabriel Farias.
Em 2014 o volante Pedro demonstrou sua veia artilheira pelo Itaboraí, marcando cinco gols na Série C do Campeonato Carioca. O desempenho agradou e ele renovou contrato. E a decisão foi a mais acertada possível. Nesta edição da Terceirona, o atleta já foi às redes em seis oportunidades (nos sete jogos disputados), as duas últimas na vitória sobre o Rubro Social, por 3 a 2.

- Primeiramente tenho que agradecer a Deus e à equipe que se empenhou até o final. Mantenho sempre isso em mente: treino forte e sei que no jogo uma bola vai sobrar. Estava confiante de que daria certo e mais uma vez correu tudo bem - disse o goleador da Águia na competição.

O segundo tento anotado contra o Rubro Social foi ainda mais especial pela ocasião. O Itaboraí empatava por 2 a 2 até os 40 minutos do segundo tempo, quando o zagueiro Fabão (improvisado de atacante) escorou ótima bola de cabeça para Pedro, que completou de peixinho. O gol colocou o Azulão na decisão do turno.

- O Fabão me chamou na hora do gol e me pediu para ficar próximo dele. Eu fui e deu certo. Estávamos muito motivados, demonstrando muita raça e agora vamos ainda mais ligados para buscar essa taça - completou Pedro.

O Itaboraí decide o primeiro turno em confronto único diante do Artsul. A partida acontece no próximo domingo (5), no Estádio Eucyr Resende, em Saquarema.

Azul e Branco só volta a campo pela Série C no mês de julho, quando enfrenta o Nova Cidade, na abertura do returno
Fora da final de turno, o São Gonçalo EC terá 15 dias de treinamento pela
frente. Foto: Divulgação/SGEC.
A campanha irregular no primeiro turno da Série C Estadual rendeu apenas o quarto lugar ao São Gonçalo Esporte Clube na tabela do Grupo B. Com 13 pontos, o Mais Querido está uma posição abaixo do Duque Caxiense, que está no limite do G-3, zona de classificação para o play-off de acesso.

Sem lugar entre os três melhores, muito menos perto da liderança (que foi do Itaboraí) o SGEC ficará apenas como espectador na final de turno, quando a Águia vai enfrentar o Artsul, no próximo domingo (5). Dessa forma, o Azul e Branco ganha cerca de duas semanas de preparação até seu próximo desafio na Terceirona.

O São Gonçalo EC volta a campo em 12 de julho, quando visitará o Nova Cidade, no Estádio Joaquim Flores, em Nilópolis. Será a estreia de ambos os times no segundo turno da Série C. Os gonçalenses terão mais sete rodadas para mudar seu atual panorama na competição.

Inicialmente confirmado para o Estádio de Moça Bonita, em Bangu, confronto será jogado na Região dos Lagos
MUDA TUDO. Final do turno foi transferida para o Eucyr Resende.
Foto: Gabriel Farias.
A Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) divulgou no início desta segunda-feira (29), que a decisão do primeiro turno da Série C Estadual, entre Itaboraí e Artsul, seria disputada no Estádio de Moça Bonita, em Bangu. Mas um pedido da direção do Itaboraí acabou por alterar o local do confronto.

O novo destino escolhido é o Estádio Eucyr Resende, em Saquarema. A informação foi confirmada pelo presidente do Itaboraí, Junior Cardozo, responsável pela solicitação. O pedido, segundo o dirigente, foi acolhido e aceito pela federação no final da tarde desta segunda.

Atualização às 18h45: A Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro confirmou, por volta das 18h40, em seu site oficial, a mudança do local da decisão para o Estádio Eucyr Resende, em Saquarema. Dia e horário permanecem os mesmos: 5 de julho, às 15h.

Gonçalense conquistou sua primeira vitória no Campeonato Carioca sobre o Botafogo, contando com apoio da torcida no Clube Mauá
O Gonçalense estreou no Clube Mauá com vitória. Foto: Gabriel Farias.
Foram dois jogos sem vitória no Campeonato Carioca de Futebol 7, mas quando estreou na condição de mandante, o Gonçalense demonstrou que vai brigar sim pelas primeiras posições na competição. O Tricolor superou o Botafogo com autoridade, por 5 a 3, no Clube Esportivo Mauá, no último sábado. O resultado foi comemorado pelo treinador Junior Bessa, que falou sobre a estratégia utilizada para superar o Alvinegro.

- Temos pouco tempo de trabalho, menos de um mês, e ainda estamos ganhando em condicionamento físico. Até por isso usamos a estratégia de começar um pouco mais recuados, saindo nos contra-ataques. Isso nos permite ter um gás no segundo tempo, rodando bastante o grupo - disse Bessa, que também salientou a maturidade de seus atletas, que conseguiram conter o ímpeto do Botafogo na etapa complementar.

- Num momento do segundo tempo eles pressionaram, mas isso fazer parte da partida. Conseguimos controlar bem e vamos em busca de mais vitórias como essa na competição.

Sem medo de bicho-papão

A primeira vitória no Campeonato Carioca fez o Gonçalense subir para a oitava posição do Grupo A, se aproximando do G-4 (o Bonsucesso, quarto colocado, tem 5). Com um novo horizonte pela frente, Junior Bessa espera ver o Tricolor repetindo grandes atuações, seja contra quem for o adversário.

- Estamos trabalhando forte e só penso em resultado. Somos o Gonçalense, mas queremos ganhar de Flamengo, Botafogo e outros times de camisa. Os jogadores que estavam aqui já eram bons, mas faltavam algumas peças mais experientes para dar suporte e conseguimos alguns jogadores que jogaram comigo no Corinthians, Macaé e São Gonçalo. A resposta tem sido muito boa nos treinamentos e coroamos o trabalho da semana nesse jogo - analisou o comandante, que não deixou de parabenizar os torcedores do Gonçalense que compareceram ao Mauá para apoiar.

- O Gonçalense terminou sua campanha no campo e a torcida está carente de jogos. O futebol 7 vai acabar sendo o foco. A torcida compareceu, gritou, torceu e isso é de fundamental importância para nosso time. Espero que sempre que tenhamos jogos aqui, que a torcida possa comparecer. Será um jogador a mais e já estou convocando para os próximos.

O Gonçalense volta a campo no domingo (5), quando enfrenta a Cabofriense no Iate Clube Jardim Guanabara, na Ilha do Governador. O próximo jogo no Clube Esportivo Mauá será em 11 de julho, contra o Bonsucesso.

Colorado, Almerinda e Kaf disputam os outros dois lugares restantes na zona de classificação
O Performance venceu o Kaf e se garantiu nas semifinais do Gonçalense.
Foto: Divulgação/CTFP.
O Campeonato Gonçalense Pré-Mirim de Futebol teve sua quarta rodada da fase classificatória sendo realizada no último sábado (27), no Campo do Cordeiros, em Santa Izabel. Entre os três confrontos, destaque para a goleada do Karanba sobre o Almerinda, por 7 a 0, que garantiu a equipe de Vista Alegre nas semifinais com uma rodada de antecedência.

Quem também comemorou a vaga de maneira antecipada foi o Performance, que superou o Kaf por 2 a 1, assumindo a vice-liderança. Em terceiro lugar e bem próximo das semifinais está o Colorado, que derrotou o Dom Ricardo por 3 a 0 e pode avançar de fase até mesmo com uma derrota no próximo fim de semana.

A última e decisiva rodada da fase de classificação está prevista para acontecer integralmente no próximo sábado, dia 4 de julho, com os seguintes embates no Cordeiros: Performance x Dom Ricardo (8h), Kaf x Almerinda (9h) e Colorado x Karanba (10h).

Karanba 100% nos juniores

Outra competição que teve destaque no fim de semana foi o Campeonato Gonçalense de Juniores. A segunda rodada serviu para o Karanba disparar na liderança, com seis pontos e 100% de aproveitamento. A segunda vitória no torneio foi sobre o Colorado, por 2 a 0. No outro duelo, Cacaral e Dom Ricardo terminaram iguais em 2 a 2.

VEJA TAMBÉM
Classificação, tabela e artilharia do Campeonato Gonçalense Pré-Mirim
Classificação, tabela e artilharia do Campeonato Gonçalense Júnior

Derrota fora de casa para a equipe de Magé pôs fim ao sonho do time gonçalense
Magé (de amarelo) levou a melhor sobre São Gonçalo na fase semifinal.
Foto: Futebol Gonçalense.
A seleção de São Gonçalo foi derrotado por 2 a 1 para o selecionado de Magé, no último sábado, no Campo do Bonfim, em Magé, no jogo de volta das semifinais do Campeonato Estadual de Ligas Municipais Sub-17. A competição é promovida pela Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj). Como havia empatado por 1 a 1 no primeiro duelo, o time gonçalense acabou eliminado.

Nesta edição do Estadual de Ligas Sub-17 o município de São Gonçalo foi representado pelo Bragantino, que conquistou o Campeonato Gonçalense da categoria na temporada 2014. Mesmo com muitas dificuldades, a equipe conseguiu desempenhar bom papel na competição.

Na outra semifinal Tanguá eliminou Itaboraí com goleada por 4 a 1. Na final da Região Metropolitana, Magé e Tanguá se enfrentam em dois jogos, nos dias 11 e 18 de julho. O campeão segue para a etapa estadual, quando enfrentará os vencedores dos demais municípios do Rio de Janeiro.

Partida única acontece no próximo domingo, dia 5; conquista é apenas simbólica
Moça Bonita será o palco da decisão do primeiro turno na Série C Estadual.
Foto: Gabriel Farias.
Por terem obtido as melhores campanhas dos Grupos A e B da Terceira Divisão Estadual neste primeiro turno, Artsul e Itaboraí estão garantidos na final simbólica, que valerá um troféu ao vencedor (não há qualquer vantagem a ser obtida para o restante da competição). A partida acontece no próximo domingo, dia 5, e será disputada no Estádio de Moça Bonita, em Bangu, a partir das 15h.

Na luta pela taça a matemática é simples. Quem vencer fica com o título. Em caso de empate, o destino do troféu será definido através das penalidades máximas. Ao final da fase classificatória do primeiro turno, o Artsul ficou com a liderança do Grupo A, somando 17 pontos. O Itaboraí, por sua vez, ficou na ponta da Chave B, com 21.

Itaboraí e Artsul já se enfrentaram nesta edição da Série C. Em confronto válido pela quarta rodada, realizado no Nivaldo Pereira, casa do time iguaçuano, a Águia levou a melhor fazendo 2 a 0, com Pedro e Raí marcando os gols da vitória.

Time papa-goiaba abriu boa vantagem, cedeu empate, mas contou com seu artilheiro para garantir os três pontos

Foi suado, dramático, sofrido, mas o São Gonçalo Esporte Clube voltou a vencer na Série C do Campenato Carioca após duas rodadas. No Estádio João Francisco, em Bangu, o Azul e Branco derrotou a Juventus por 3 a 2, subindo para a quarta posição do Grupo B, com 13 pontos.

Mal o juiz apitou e os gonçalenses já estavam comemorando. Estreante da tarde, Gustavo Moura descolou ótimo lançamento para Hiago, que desencatou na competição marcando seu primeiro gol, num toque sútil na saída do goleiro Bahia. A Juventus respondeu em dois bons ataques, mas Silezio apareceu bem.

Mais cirúrgico na frente, o São Gonçalo ampliou seu conforto no placar aos 25 minutos de maneira inesperada. O lateral-direito Rafael deu um balão para frente, o goleiro Bahia calculou mal o tempo de bola e acabou vendo a redonda morrer dentro do gol. Era o segundo tento, que teoricamente, daria ainda mais tranquilidade ao SGEC.

Mandantes igualam, mas Robson "salva a pátria" no fim

Após o intervalo o São Gonçalo deu sinal de que estava mais perto de matar o confronto. Robson arriscou de fora da área, mandando rente à trave. Antes da parada técnica, no entanto, Régis lançou Bruno, que ficou sozinho na frente de Silezio, tendo tranquilidade para diminuir. A zaga gonçalense reclamou muito de impedimento, que o juiz não assinalou.

Régis, que deu o passe para o gol, foi expulso logo depois por atrapalhar Silezio na reposição de bola. Mesmo com um jogador a menos a Juventus igualou aos 38 minutos, quando Bruno Diogo foi trombando com os defensores até achar espaço para chutar forte. Mais uma vez houve muita reclamação, já que os visitantes pediram toque de mão do autor do gol.

Com os ânimos mais calmos o São Gonçalo EC conseguiu um pênalti salvador na marca de 40 minutos, após boa infiltração de Neto na grande área. Num bate e rebate, a bola tocou na mão do defensor da Juventus. Na cobrança, Robson chamou a responsabilidade e não deu chances de defesa ao goleiro. 3 a 2 e alívio na Série C para o Mais Querido.

Ficha Técnica
Juventus 2x3 São Gonçalo EC
Campeonato Carioca Série C - 1ª Fase - 8ª Rodada
Estádio João Francisco, Bangu (RJ)
Dia 28 de junho (domingo) - 15h

Árbitro: Matheus Carneiro Torres
Assistentes: Rafael Almeida da Silva e Raphael de Lima Carneiro
Cartões Amarelos: David, Régis, Bernardo e Dênis (JUV)
Cartão Vermelho: Régis (JUV)

Gols: Hiago, 1'/1ºT (0-1); Rafael, 25'/1ºT (0-2); Bruno, 20'/2ºT (1-2); Bruno Diogo, 38/2ºT (2-2); Robson 40'/2ºT (2-3)

Juventus
Bahia; Bruno, Felipe (Régis), Bernardo e Caio (Pingo); Dênis, David, Wilson e Miquéias; Cristhian (Bruno Diogo) e Renato. Técnico: João Santos

São Gonçalo EC
Silezio; Rafael, Davidson, Ronald e Marcello Norom (Neto); Gustavo Moura, Juninho e Junior Mineiro (Wilson); Luiz Felipe (Dias), Hiago e Robson. Técnico: Reginaldo Assad

SAIBA MAIS
Classificação do Campeonato Carioca Série C
Instabilidade defensiva quase complicou a Águia, que contou com "zagueiro-atacante" e volante iluminado para vencer novamente

Por Gabriel Farias
COMEMORA! Pedro, ao centro, é festejado pelos companheiros. Volante
marcou duas vezes. Fotos: Gabriel Farias.
O Itaboraí encerrou sua campanha na fase classificatória do primeiro turno da Série C Estadual com 100% de aproveitamento. Na sétima partida, disputada neste domingo (28), a Águia venceu o Rubro Social por 3 a 2, assegurando a primeira posição do Grupo B, com 21 pontos. O triunfo também garante lugar na decisão do turno, contra o Artsul, no próximo domingo (5), em local a definir.

O jogo, a principío, dava a impressão de que seria tranquilo. O Itaboraí comandava as ações ofensivas e encontrava muitos espaços para abrir o placar. Após arriscar em chutes de longe, os visitantes saíram na frente aos 17, só que por meio de um pênalti, após chute de Léo Sabino que explodiu nas mãos de Gato Preto. Na cobrança, Pedro deslocou o goleiro e correu pro abraço.

O Rubro, que até então mal conseguia ultrapassar o meio de campo, igualou logo na primeira chegada ao ataque. Carlinhos driblou Victor Russo no lado direito e ficou de frente para o goleiro Luiz Felipe, que ainda tentou abafar o atacante, mas sem conseguir impedir que a bola morresse mansamente no fundo das redes.

O gol colocou os donos da casa no jogo e de quebra ainda desnorteou o Itaboraí. Num chutão na direção da defesa, Fabão aparou mal de cabeça, o goleiro Luiz Felipe exitou na saída e Daniel Felipe completou a sequência de erros derrubando Maiqui. Pênalti que o próprio se apresentou para cobrar. Ele só não contava que Luiz Felipe fosse fazer grande defesa no canto direito.

A etapa inicial seguia em ritmo alucinante. Se não aproveitou a oportunidade de passar à frente, o Rubro acabou vendo o Azulão marcar novamente. Filipinho - que teve mais uma atuação excelente - costurou a defesa do Rubro pelo lado esquerdo e cruzou rasteiro. Gilbertinho, outro em tarde inspirada, estufou o gol de Jefferson: 2 a 1, aos 32 minutos.

Displicência atrapalha, Rubro iguala de novo, mas "tática maluca" dá certo, garantindo os três pontos

Partida na Região dos Lagos foi muito movimentada durante os 90 minutos.
O segundo tempo repetiu o ritmo do primeiro, com as duas equipes apostando num jogo franco. Diegão, em chute cruzado, quase fez o terceiro do Itaboraí, que deixou o ritmo baixar, ao contrário do que se imaginava. O Rubro Social aproveitou para manter o bom aproveitamento lá na frente. Dieguinho recebeu dentro da área após cobrança de lateral e fuzilou Luiz Felipe, que ainda encostou na bola, mas não evitou o segundo empate aos 11 minutos.

Vendo seu time apresentar uma atuação que oscilava muito, Paulo Cesar Teixeira optou por melhorar o setor de criação. Willian Bersan e Henrique entraram, mas o Rubro seguiu contendo as ações ofensivas do Itaboraí. Além disso, demonstrando satisfação com o empate, os donos da casa passaram a protagonizar muitas quedas em campo, além de retardarem a reposição da bola em jogo.

Foi então que o treinador da Águia apelou para uma tática que poderia parecer esdrúxula, mas acabou dando muito certo. O zagueiro Fabão foi deslocado para o ataque, fazendo a função de centroavante. Com pouco mais de dois metros de altura, o defensor passou a ganhar quase todas por cima, conseguindo criar situações interessantes de gol. Numa delas, que resultou em falta na entrada da área, Willian Bersan cobrou rente ao travessão.

Um contra golpe mal aproveitado pelo Rubro quase decretou a derrota dos visitantes. Aos 36, Maiqui passou por Wilton na lateral-esquerda e mesmo sem ângulo, buscou o chute, que saiu em linha de fundos. Na marca do pênalti, livre, estava Leandrinho. O castigo veio. Aos 40 minutos, Luiz Felipe deu o balão para o ataque, o "zagueiro-atacante" Fabão escorou encobrindo o goleiro Jefferson. Na pequena área, o volante Pedro completou de peixinho. Foi o sexto gol dele na Série C, sem dúvidas, o mais importante. Que venha a final!

Ficha Técnica
Rubro Social 2x3 Itaboraí
Campeonato Carioca Série C - 1ª Fase - 8ª Rodada
Estádio Lourival Gomes de Almeida, Saquarema (RJ)
Dia 28 de junho (domingo) - 15h

Árbitro: Leandro Oliveira dos Santos
Assistentes: Wander Luiz da Conceição e Marcus Vinicius Machado Araújo Brandão
Cartões Amarelos: Tiaguinho, Wallace e Marquinhos (RUB); Fabão, Daniel Felipe e Willian Bersan (ITA)

Gols: Pedro, 17'/1ºT (0-1); Carlinhos, 21'/1ºT (1-1); Gilbertinho, 32'/1ºT (1-2); Dieguinho, 11'/2ºT (2-2); Pedro, 40'/2ºT (2-3)

Rubro Social
Jefferson; Mateus, Muralha, Gato Preto (Wallace) e Tiaguinho; Gilmar, Pet (Leandrinho), Carlinhos e Lucas (Marquinhos); Maiqui e Dieguinho. Técnico: Mauro Veras

Itaboraí
Luiz Felipe; Daniel Felipe (Henrique), Fabão e Victor Russo; Léo Sabino, Jackson, Pedro e Wilton; Gilbertinho (Leônidas Castro), Diegão (Willian Bersan) e Filipinho. Técnico: Paulo Cesar Teixeira

VEJA TAMBÉM
Classificação do Campeonato Carioca Série C

Treinador revelou que pode sim seguir à frente do Tricolor, mas que para isso, precisa aguardar decisão de quem será o novo técnico do Bangu

Por Rennan Rebello
Mário Marques aguarda definição do Bangu para saber se fica ou não no
Gonçalense. Foto: Emerson Pereira.
O Gonçalense vive a expectativa de confirmar Mário Marques como seu treinador para a disputa da Copa Rio. Mas para o ter o comandante à frente da equipe tricolor, a diretoria do clube de São Gonçalo depende de algumas situações que fogem a sua alçada. A permanência de Marques no Gonçalense está condicionada à definição do Bangu sobre seu novo comandante.

Na última sexta-feira (26), Marques esteve presente no Aeroporto Internacional Antônio Carlos Jobim, no Rio de Janeiro, para acompanhar o treinador inglês Dermont Drummy em sua despedida após uma visita de quatro dias em solo carioca, onde conheceu a estrutura e o projeto do Bangu, que almeja tê-lo como técnico.

Existe uma grande probabilidade que Drummy assuma o alvirrubro suburbano já na Copa Rio. Caso isso se confirme, não será boa notícia para o Tricolor Metropolitano, visto que Mário Marques está envolvido diretamente por ser um dos idealizadores desse projeto. Caso o desfecho seja positivo, Marques trabalhará junto com o britânico como gerente de futebol banguense.

- Eu não devo ser o treinador do Bangu na Copa Rio e já conversei com Joacir (presidente do Gonçalense) sobre isso. Se der certo a situação com Dermont, não posso largar (o Bangu), porque eu tenho que estar com ele para trabalhar. Mas se eu tiver que pegar um time agora, com certeza seria o Gonçalense, pelo respeito que fui tratado, pelo carinho da torcida e pela honestidade do Joacir e do Thiago (vice-presidente). É um projeto que eu gosto e acho que o Gonçalense tem um futuro brilhante para caminhar - explicou Mário Marques, sem rodeios.

Entenda o caso

Dermont Drummy: inglês é desejado pelo Bangu. Futuro do Gonçalense passa
por decisão do inglês. Foto: Rennan Rebello.
Dermont Drummy, ex-treinador das categorias de base do Chelsea foi convidado pelo Bangu para assumir o cargo de técnico do time principal e desenvolver um trabalho onde implementaria a filosofia inglesa no clube. Drummy ficou bastante empolgado com a possibilidade de assumir o Alvirrubro da Zona Oeste - que foi fundado por ingleses - afirmando que seria o maior desafio em sua carreira.

Por sua vez, o presidente do Bangu, Jorge Varela, está bem confiante no acerto.

- Falar que está 100% acertado seria incoerência minha. O que fizemos hoje foi mostrar o nosso projeto para ele e buscar viabilizar uma equipe que consiga fazer um bom campeonato. Nós sabemos de nossa dificuldade, dentro disso ele apresentou seu planejamento e sua programação e agora vamos viabilizar financeiramente esse projeto.

Enquanto a resposta de Drummy não vem, Bangu e Gonçalense seguem sem comandante à espera da resposta do inglês. O futuro de ambos está nas mãos dele.